• Imagem do colegiado de musica da uefs

Anais do Seminário Nacional de Psicologia da Música e Educação Musical - SENAPEM

HISTÓRICO DO EVENTO


A música é uma das expressões fundamentais da cultura humana: um constructo sociocultural que toma parte no conceito de humanidade. Como atividade ou como produto culturais, ela se caracteriza por sua antiguidade, ubiquidade e onipresença.

Diante de sua importância, desde muito, os estudiosos se perguntam: de que maneira a música está presente na vida das pessoas? Por que ouvimos e fazemos música? Por que certas sequências de sons nos emocionam e outras nos incomodam? Por que gostamos de música? Qual é o valor da música para indivíduos ou grupos sociais? O que constitui o comportamento musical? Como as habilidades musicais se desenvolvem? O que é musicalidade? O que é música, afinal?

O valor, os usos e as funções da música em diferentes sociedades podem ser estudados sob diversas perspectivas: social, antropológica, estética, histórica e psicológica.

O comportamento musical é, tanto quanto a própria expressão musical, multifacetado. Aspectos desse comportamento vêm sendo investigados tanto individualmente como socialmente: uma investigação interdisciplinar por definição.

No bojo dessa interdisciplinaridade, a Psicologia vem contribuindo para o fortalecimento de uma área específica denominada de Psicologia da Música. Em especial, fenômenos sensoriais, perceptivos, cognitivos, motrizes e afetivos já bastante conhecidos da Psicologia Geral vêm sendo discutidos no âmbito das atividades musicais. Temas como performance, aptidão, habilidade, inteligência, criatividade, comportamento musical social, emoção, memória, percepção, ansiedade, aprendizagem, desenvolvimento e muitos outros vêm sendo discutidos na perspectiva da Psicologia da Música.

A Psicologia da Música procura compreender os processos psicológicos presentes no comportamento e na experiência musicais. Ou seja: quais são os processos conscientes e inconscientes que são mobilizados a partir da música? O que acontece quando alguém toca, improvisa, compõe, dança ou ouve música? Quais são os significados da música? Quais são as relações entre música e emoção, memória, inteligência...?

A tarefa da Psicologia da Música vem sendo a de compreender as conexões entre os comportamentos musicais e a variedade de aspectos e elementos com os quais esses se relacionam, estabelecendo modelos teóricos capazes de explicá-los. Metodologicamente, a Psicologia da Música visa a elaboração de modelos teóricos explicativos dos mecanismos presentes na mente do indivíduo, quando ele está envolvido em alguma atividade musical.

Nesse sentido, as pesquisas em Psicologia da Música podem esclarecer procedimentos de ensino e aprendizagem, qualificando princípios a serem adotados no processo de Educação Musical.

O Seminário Nacional de Psicologia da Música e Educação Musical – SENAPEM pretende congregar pesquisadores e estudiosos do assunto no intuito de fortalecer essa área de investigação, em especial, aquelas relativas ao tema central do Seminário: Psicologia da Música e Educação Musical: interfaces, perspectivas e ações pedagógicas.

Valéria Cristina Marques

Destaques do I SENAPEM


O I SENAPEM contou com a presença de palestrantes renomados no cenário da psicologia da música. Os professores Diana Santiago (UFBA), Fabiano Carlos Zanin (UFSE) e Alessandro Pereira (UFSE) realizaram a mesa redonda “Psicologia da Música e suas implicações para os músicos: saúde, memória e autorregulação”; o professor Ricardo Vieira (UFSE) ministrou o minicurso “Elaboração de arranjos para aulas coletivas de instrumento e prática de conjunto”; o professor Antônio Chagas (UFBA) ministrou o minicurso “Psicologia da Música aplicada à Educação Musical”. Os professores convidados da Universidade Federal de Sergipe, além de participarem de uma das mesas redondas e minicurso, ainda realizam apresentações artísticas durante o evento.
Além da conferência de abertura, ao todo foram realizados duas palestras, duas mesas redondas, três minicursos, apresentações artísticas e apresentação de comunicações orais.




Mesa redonda com a Profa. Diana Santiago (UFBA)




Minicurso com o Prof. Ricardo Vieira (UFS)


Outro destaque do programa foi videoconferência de abertura do evento com a participação do professor Dr. James Sparks com o tema “Engajamento Musical entre Jovens”. Jim Sparks é professor adjunto da Escola de Música da University of British Columbia e diretor de música da escola de Belas Artes Langley (LFAS) em Fort Langley, British Columbia. Inicialmente, a professora Susan O’Neill, pesquisadora renomada na área de psicologia da Música, iria realizar tal conferência, mas, por motivos de saúde na família, foi necessária sua substituição pelo professor Sparks. A videoconferência teve grande repercussão entre os participantes do evento, ao final da apresentação houve um momento para troca de perguntas e respostas entre os presentes e o professor Spark.


Videoconferência com o Prof. James Sparks (Simon Fraser)


No que se refere à sessão de comunicações, foi possível promover o diálogo com experiências e pesquisas que vem sendo realizadas em diversas instituições em todo o Brasil que se dedicam ao campo da Psicologia da Música (como a UFBA, UFPA, UFPR, UFSE, USP, UCSAL, entre outras). As apresentações orais giraram em torno dos seguintes temas: Performance musical em suas diversas modalidades; Percepção musical; Identidade pessoal e cultural; Aspectos interpessoais e sociais do desempenho musical; Desenvolvimento das habilidades musicais; Criatividade musical; Música e cotidiano; Processos avaliativos em música; Interfaces entre música e saúde; Música, educação e psicologia; Aspectos motivacionais e emocionais em educação musical.

Outro ponto de destaque no programa foi a participação de grupos musicais e artísticos na programação do Evento. O concerto de Abertura do Seminário foi realizado pelo Trio de Violões de Sergipe, que apresentou obras autorais, arranjos compostos pelo grupo, entre outros. Nos demais grupos que se apresentaram, a ênfase do repertório proposto esteve na valorização da cultura musical local. Assim, foram convidados a participar das apresentações alunos do curso de Licenciatura em Música e participantes de projetos de extensão que possuem trabalhos musicais e artísticos consolidados, como pode ser visto nos programas em anexo. Dentre estes, há de se ressaltar a participação do Grupo Musical Coisa de Índio, compostos por indígenas alunos de diversos Cursos da UEFS.


Grupo Coisa de Índio
Recomendar esta página via e-mail: