• Imagem do colegiado de musica da uefs

Pesquisas

---------------------------------------------------------------------------Em desenvolvimento---------------------------------------------------------------------------



1. Música na Escola: investigando práticas pedagógicas musicais

Pesquisadores: Simone Braga (coordenação), Bruno Westermann, Claudia dos Santos Ferreira, Aaron Lopes (UEFS), João Emanoel  Benvenuto (UFC) e Tiago Quadros (UFRN).

Resumo: O presente projeto apresenta uma proposta de investigação que tem por objetivo mapear e analisar práticas pedagógico-musicais curriculares realizadas na rede pública em duas cidades brasileiras: Feira de Santana (BA) e Sobral (CE). O processo metodológico adotado estará centrado em uma investigação de caráter qualiquantitativo, através da aplicação de instrumentos de coleta de dados aos quais buscarão mapear o ensino de música escolar, bem como realizar uma análise aprofundada da presença da música como conteúdo no componente curricular Arte, desenvolvida através de atividades do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID), vinculadas aos cursos de Licenciatura em Música da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e da Universidade Federal do Ceará (UFC), campus de Sobral. Como resultado, espera-se contribuir para o fomento da implementação do ensino de música escolar nas cidades envolvidas, além de contribuir para o desenvolvimento de práticas pedagógicas musicais e da profissionalização musical dirigida ao contexto escolar. Acredita-se que a iniciativa provocará reação positiva nas comunidades envolvidas, ao contribuir com a conscientização local da importância do ensino de música ser inserido na matriz curricular escolar, ao possibilitar impactos na valorização da música como área de conhecimento no âmbito escolar e, consequentemente, no fomento de políticas públicas educacionais locais.

Palavras-chave: Atividade curricular, Música na Escola, Rede Pública de Ensino.




2. A criação musical no contexto das atividades desenvolvidas através do PIBID de Música da UEFS.

Pesquisadora: Laís de Souza Silva (UEFS)

Resumo: No Ensino Básico a música é conteúdo do componente curricular Artes, juntamente com as artes visuais, a dança e o teatro, conforme sinaliza a recente Lei 13.278/2016. Nesse contexto, está entre os objetivos do ensino de música possibilitar ao indivíduo o acesso a conteúdos musicais, ampliação do repertório e uma experiência musical ativa que contemple a diversidade cultural (PENNA, 2008). O papel do professor é desenvolver práticas pedagógicas que atendam a esses objetivos e que garantam uma aprendizagem significativa a todos os envolvidos. Segundo Fonterrada (2015), por volta da década de 1960, surgiram educadores musicais com propostas inovadoras. Esses educadores incentivam a aproximação da música através de atos criativos, como a prática de composições ou de improvisações.Swanwick (2003)defende que a experiência musical discente só é completa se além da apreciação e execução, permeadas pela técnica e conhecimentos teóricos, foremexploradas atividades
que fomentem a criação musical. Visto a relevância da criação no ensino de música, colocando o indivíduo como participante ativo e autônomo no processo de educação musical, este plano de trabalho busca investigar como a criação musical foi contemplada nas atividades desenvolvidas nas aulas de música, a fim de identificar, descrever, analisar essas atividades e verificar os conteúdos musicais que foram abordadospelos bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), vinculado ao curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual de
Feira de Santana (UEFS).A coleta de dados acontecerá por meio do levantamento virtual no Blog do Subprojeto de Música do PIBID e aplicação de questionário para os bolsistas. Ao final da pesquisa, espera-se propor e contribuir para a reflexão sobre a criação musical no contexto escolar e colaborar com o projeto de pesquisa “Música na Escola: investigando práticas pedagógicas musicais”.

Palavras chave: educação musical; PIBID; práticas criativas.


------------------------------------------------------------------------------Concluídas------------------------------------------------------------------------------



1. A integração das artes como abordagem pedagógica em Educação Musical

Pesquisador: Lucas Barbosa Silva

Resumo: Nos anos de 2012 e 2013, a partir da atuação como bolsista no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID), foi construída a Abordagem da Integração das Artes. Desenvolvida no Centro Integrado de Educação Municipal Professor Joselito Falcão Amorim consistiu na integração da música a distintas modalidades da Arte, onde conteúdos musicais dialogaram com o Cinema, com a Poesia, o Teatro, as Artes Visuais e a Dança, com o objetivo de promover um ensino de música mais significativo nas turmas do componente curricular Arte, com estudantes do 6º ano e da 8ª série do Ensino Fundamental II. Para a sua elaboração, se lançou mão de reflexões com aportes teóricos sobre o ensino de música ligado a outras modalidades artísticas (SCHAFER, 2011; ILARI, 2011; BERCHMANS, 2006; SANTA ROSA, 2006; GODINHO, 2006; ROMANELLI, 2009; EISENSTEIN, 2002), a fim de identificar as vantagens e possibilidades desta prática, ao favorecer o ensino de música de forma holística e lúdica. Por ocasião da realização dos componentes curriculares Pesquisa Musical I, II e III, a experiência veio a se tornar objeto de investigação. Buscou-se verificar se é possível trabalhar a música através da integração das artes no âmbito escolar em uma pesquisa em caráter qualitativo, através de estudos de casos múltiplos, ou seja, o estudo de cada turma assistida e o diálogo entre as artes resultantes. O produto final da abordagem foi editado em um vídeo que serviu para a análise em três perspectivas: 1) do pesquisador/aplicador, por meio da observação participante; 2) da professora regente das turmas; 3) de juízes independentes, com experiência em diversas modalidades artísticas. O pesquisador e a professora regente ainda procederam com a análise do processo de ensino e aprendizagem na mediação das aulas que envolveram a abordagem desenvolvida. Como resultado, verificou-se que o ensino de música através da Integração das Artes prepara a mente e o corpo do estudante para perceber a música que está ao seu redor, utilizando-se de todo o seu aparato sensório motor e de todos os sentidos para canalizar o ensino de música. A integração também promoveu o entendimento e o respeito às diferenças de cada estudante, ao permitir que a seu tempo, pudesse florescer musicalmente.

Palavras-chave: Educação Básica, Educação Musical, Integração das Artes.




2. Utilização das Tecnologias Digitais pelos bolsistas do PIBID-Música da UEFS

Pesquisador: Robson da Silva Cardoso

Resumo: Os avanços tecnológicos e a consequente disseminação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) modificaram os processos de criação e transmissão musical tornando acessíveis a um número maior de pessoas o registro e a disseminação de um trabalho musical. Sensível a esta realidade e às suas implicações na Educação Musical, a presente pesquisa visa investigar a utilização das TIC e os recursos tecnológicos disponíveis em aulas de música, ministradas pelos bolsistas nas escolas parceiras do Subprojeto Musicando a Escola, pertencente ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID), vinculado ao curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). O processo metodológico adotado está centrado em uma investigação qualiquantitativa através da análise documental e da aplicação de questionários e entrevistas. A coleta de dados foi desenvolvida em duas etapas: 1) investigação da disponibilidade e utilização das TIC realizada pelos bolsistas do Subprojeto Musicando a Escola; 2) análise de um estudo de caso a partir do uso das TIC pelos bolsistas atuantes no Centro Integrado de Educação Assis Chateaubriand (CIEAC). Como resultados, verificou-se que os recursos tecnológicos mais encontrados nas escolas se relacionam com a exibição de material audiovisual nas intervenções didáticas. Notou-se também um uso intensivo de variados recursos tecnológicos no planejamento das intervenções. Em relação ao caso do CIEAC, destaca-se a utilização das tecnologias como recurso e também conteúdo para a aprendizagem musical e a busca pela participação ativa dos estudantes. Espera-se que essa pesquisa colabore com inserção das tecnologias digitais de forma a auxiliar em um processo efetivo de aprendizagem musical.

Palavras-chave: Educação Musical, PIBID, Tecnologias Digitais.




3. A formação do licenciando em música na perspectiva da diversidade cultural

Pesquisador: Andeson Cleomar dos Santos

Resumo: Esta investigação tem por objetivo pesquisar de que forma a diversidade cultural está sendo abordada na formação inicial dos estudantes do Curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e também se a mesma faz parte das práticas pedagógicas iniciais dos licenciandos, enquanto bolsistas nas escolas assistidas pelo Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Trata-se de uma pesquisa qualiquantitativa, que tem como instrumentos de coleta a aplicação de questionários, a análise da matriz curricular e de atividades acadêmicas do curso de Licenciatura em Música da UEFS. A investigação se apoia em alguns autores (PENNA, 2014; DAMATTA, 1981; LARAIA, 2001; ROCHA, 1988; e BORGES, 2010), leis e documentos a exemplo da Lei n° 11.645/08, Parecer CNE/CP 03 e Resolução CNE/CP 01/2004, entendendo a importância de se contemplar as culturas e histórias de matrizes africanas, afro-brasileiras e indígenas na formação inicial e atuação posterior na educação básica. Como considerações finais, nota-se que o curso de Licenciatura em Música da UEFS mostra-se preocupado com a formação de seus licenciandos na perspectiva da diversidade cultural, estando presente tanto na formação inicial dos estudantes como também na atuação inicial dos bolsistas do PIBID-Música da UEFS. No entanto, ao considerarmos os conhecimentos e saberes desenvolvidos no curso relacionados a cultura ocidental européia, a diversidade não é abordada de forma equilibrada, diante das necessidades de desenvolver uma educação igualitária culturalmente.

Palavras-chave: Diversidade Cultural, Formação Docente, Legislação.




4. Repertório Musical: uma investigação de tipos e atividades a partir das aulas do Subprojeto “Musicando a Escola”

Pesquisador: William Albert Nunes de Carvalho Silva

Resumo: Defendendo um ensino musical escolar que contemple a diversidade existente na sala de aula por meio do seu repertório, esta pesquisa tem como temática central uma investigação da seleção do repertório e das atividades desenvolvidas pelos bolsistas e supervisores do Subprojeto Musicando a Escola, pertencente ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), relacionando-as ao modelo C(L)A(S)P de Swanwick. A revisão bibliográfica apresenta autores(as) que enfatizam as interações entre discente e docente e a diversidade de repertórios musicais na educação, além de outros(as) autores(as) que abordam o modelo C(L)A(S)P. A coleta de dados foi por meio da técnica do grupo focal, com uma entrevista semiestruturada. A pesquisa conta com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB) e o apoio do Grupo de Pesquisa Estudos Contemporâneos em Música.

Palavras-chave: Diversidade, Repertório musical, C(L)A(S)P, PIBID.



5. O consumo de música por meio de material audiovisual por estudantes do ensino básico

Pesquisadora: Raisa Cruz Cerqueira

Resumo: Esta pesquisa está inserida no projeto de pesquisa "Música na Escola: Investigando Práticas Pedagógicas Musicais". O recorte que será contemplado busca

investigar de maneira mais específica o uso de Tecnologias de informação e Comunicação no contexto do ensino de música escolar no município de Feira de Santana/BA. Pensar em atividades musicais é pensar em comportamentos da sociedade, a música é quase indissociável do cotidiano urbano e torna-se o meio de expressão e de integração emotiva preferido dos movimentos juvenis. Nessa perspectiva, ela não é apenas um veículo, mas antes de tudo um comportamento coletivo (SEREN, 2011). Com o desenvolvimento dos recursos tecnológicos voltados ao audiovisual, à música passou a ser exposta através deste meio (televisão, cinema ou internet), e o costume de ver música foi agregado ao hábito de ouvi-la (CARVALHO, 2006). Portanto, aprofundar o conhecimento sobre como a escuta musical tem se dado dentro do contexto escolar, levando em consideração o conteúdo musical que é distribuído através de plataformas de conteúdo audiovisual, se mostra importante, principalmente para os profissionais que trabalham com educação musical. Dentro disso fazem-se necessárias pesquisas que investiguem o comportamento de jovens em idade escolar frente às práticas sociais vinculadas às Tecnologias da informação.

Palavras-chave: Tecnologias no Ensino de Música, Audiovisual e Educação Musical, Ensino de Música Escolar.



6. Tumpá: a criação de um recurso digital para o ensino de música

Pesquisador: Artur Araújo Silva

Resumo: Este trabalho apresenta os processos de criação do recurso TumPá, um canal de vídeos musicais no Youtube voltado para prática da percussão corporal e vocal. Primeiramente são descritos as motivações por trás do desenvolvimento da ferramenta, sua contextualização histórica e a justificativa pela escolha do seu formato como videoaula em uma plataforma online. Também são abordados conceitos sobre tecnologia e o usos de recursos digitais em música, principalmente na educação musical, partindo da intenção de criar um dialogo sobre as tecnologias enquanto recurso em aulas de música. São feitas colocações sobre a plataforma de vídeos Youtube, descrevendo seu funcionamento e sua importância como espaço de produção de conteúdo online. Além disso, apresentamos suas características como uma rede social de compartilhamento e troca de informações e considerações são feitas sobre o seu valor como ferramenta educacional. Apresenta-se uma discussão sobre os aspectos que permeiam o uso da percussão corporal como recurso na educação musical, explorando os conceito de música corporal, diretamente relacionado as suas práticas no ensino-aprendizagem de música. São apresentados os dados coletados na pesquisa de campo e é feita uma descrição dos processos envolvendo os instrumentos utilizados nesta coleta. Uma análise do ambiente de ensino onde essa pesquisa se insere é descrita e são traçados comentários sobre os resultados alcançados. Por fim, são abordados os processo de criação e produção do recurso TumPá, bem como suas funcionalidades e aplicações como recurso voltado para o ensino-aprendizagem de música.

Palavras-chave: Educação musical, Tecnologia em música, Recurso digital, Música corporal.



7. A integração das artes na performance pianística a quatro mãos

Pesquisadora: Simone Gonçalves da Silva

Resumo: Essa pesquisa analisa a integração das artes na performance pianística, desenvolvida em umaatividade de extensão na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), intitulada Piano a Quatro Artes. No processo metodológico, o diálogo entre música e outras linguagens, foi realizado a partir da performance de peças para piano a quatro mãos, articuladas com algumas atividades desenvolvidas em cursos de artes (música, teatro, dança e artes visuais) ofertados pelo Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA), ao possibilitar que pianistas dialogassem com outras formas de arte, ao criar conexões entre as linguagens envolvidas. Como objetivos buscou-se verificar as contribuições da integração das artes na performance pianística, além de incentivar a prática do piano no âmbito local por meio da execução coletiva, pesquisar repertório de piano a quatro mãos e identificar as habilidades docentes musicais presentes na promoção de performances instrumentais. A pesquisa teve como suporte teórico argumentações de autores que dialogam sobre o tema como Cerqueira (2009), Conhen (2009), Fonterrada (2004), Schafer (2011) e Perrenoud (2001) entre outros. Como resultados nota-se: 1) o diálogo entre as linguagens artísticas envolvidas, reflexo da integração das artes responsável por apresentações artísticas distintas; 2) a interação com a comunidade local, caracterizando a ação extensionista; 4) o desenvolvimento de habilidades musicais e extramusicais na gestão das apresentações; 5) às contribuições da prática a quatro mãos para a formação pianística; 6) o fomento de apresentações locais envolvendo o piano.

Palavras-chave: Integração das Artes, Performance, Piano.



8. Musicalização: refletir, significar e compreender seu espaço no processo de ensino e aprendizagem musical na educação básica

Pesquisador: Amós Weslley Gonçalves de Oliveira

Resumo: Musicalização é um tema muito comum e presente no cotidiano e nas práticas pedagógicas dos professores de música, seja em espaços formais ou não-formais de ensino. Porém, entender o que é musicalização requer uma reflexão que muitas vezes não está explícita nestas práticas: sua conceituação se perde pela falta de reflexões sobre seu significado. Logo, esta pesquisa procura se debruçar sobre o tema da musicalização, ao buscar entender o conceito que se tem na teoria e na prática. Seu objetivo geral é investigar a musicalização e seus processos no âmbito da educação básica no ensino médio, a partir de atividades realizadas pelos bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) de Música da UEFS. Este trabalho está fundamentado nas reflexões e pesquisas de autores como Arroyo (1999), Penna (1990), Cristal (2015), Hummes (2004) e Queiroz (2004). Esta investigação, de caráter qualitativo (GODOY, 1995), traz uma abordagem de estudos de casos múltiplos, tendo como amostra os bolsistas de iniciação à docência vinculados ao Subprojeto de Música da UEFS, que atuam em duas escolas parceiras que ofertam o conteúdo música no ensino médio através do programa. O instrumento de pesquisa utilizado foi a entrevista semiestruturada (MANZINI, 2004) realizada com perguntas organizadas num roteiro pré-estabelecido. Dentre os resultados alcançados, realizamos um registro de como o processo de musicalização acontece no PIBID de Música da UEFS, no âmbito do ensino médio, trazendo à tona as vozes dos bolsistas do programa e as atividades que realizam. Também desenvolvemos uma conceituação do tema, abordando não apenas a teoria, mas também a práxis da musicalização neste contexto.

Palavras-chave: Educação Básica, Ensino Médio, Musicalização.



9. O canto coletivo nas escolas do Pibid de Música

Pesquisadora: Larissa de Carvalho Gonçalves

Resumo: O presente trabalho, que contou com o apoio da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB), tem como proposta apresentar uma pesquisa que busca investigar a abordagem do canto coletivo junto às práticas pedagógicas desenvolvidas pelos ex-bolsistas do Subprojeto Musicando a Escola, na atuação em cinco escolas públicas de Feira de Santana, parceiras do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), vinculado ao curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Assim, a problematização desta pesquisa é verificar como foi trabalhado o canto coletivo nas escolas, por isso, o objetivo principal foi investigar as formas em que foram contempladas atividades que envolveram o canto coletivo. Como objetivos específicos buscou-se identificar os recursos disponíveis para as aulas; conhecer o repertório utilizado; conhecer e descrever as atividades práticas de canto coletivo; verificar as dificuldades, desafios e habilidades docentes necessárias para desenvolver a prática do canto em sala. Como referencial teórico foram utilizados alguns autores e documentos da área de música e áreas afins, a exemplo, dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) (1997) e Braga (2014), que ressaltam a importância da voz cantada como uma ferramenta eficiente para promover a prática musical; Figueiredo (2005), Schmiti (2003) e Andrade (2009) que discutem os benefícios do canto para a aprendizagem musical. Metodologicamente, para a coleta dos dados foi desenvolvida entrevistas junto aos ex-bolsistas abordando sobre a condução das atividades com o canto coletivo. Os resultados alcançados permitiram identificar e analisar as atividades desenvolvidas contemplando o canto coletivo. Apesar de todos os ex-bolsistas terem contemplado, verificou-se diferenças na condução pedagógica devido à aproximação da atividade por parte dos mesmos, o que refletiu nos desafios, recursos, repertório e habilidades desenvolvidas. Em relação aos estudantes, pode-se concluir que o canto coletivo contribuiu para o desenvolvimento da ampliação do repertório dos mesmos, melhora na afinação, desenvolvimento da percepção e da conscientização corporal, ao possibilitar perceber a música que está dentro de cada indivíduo, o conhecimento de si mesmo relacionado aos sons externos (sons estes intrínsecos e particulares), que favoreceu a manipulação da música ao seu redor, ao viabilizar o crescimento musical de cada um apontando para a necessidade do desenvolvimento desta atividade na escola.

Palavras-chave: Aula de Música, Canto Coletivo, PIBID.



10. Repositório de atividades pedagógicas musicais para alunos surdos nas aulas de música na escola

Pesquisadora: Haryany Lima Santos

Resumo: Os objetivos deste trabalho são reunir dados/informações com o propósito de organizar um repositório contendo atividades, recursos e materiais de apoio que possam auxiliar no ensino de música na escola diante de turmas mistas, com alunos surdos e ouvintes, e contribuir também com a formação docente voltada para essa realidade. Para facilitar a compreensão da relação do surdo com a música, a revisão bibliográfica foi estruturada em cinco subtópicos: 1) Concepção de deficiência (Decreto nº 3.298, de 1999; DINIZ, 2007; WERNECK, 2004); 2) Conhecendo o Surdo e sua Língua (LOURENÇO, 2013; GESSER, 2009; QUADROS, 2004; GREMION, 1998; SILVA, 2007; TROBEL, 2011; LIMA et al, 2014); 3) O Surdo e a Música (ARAÚJO, 2017; HAGUIARA-CERVELLINE, 2003; SILVA, 2007); 4) Políticas Educacionais para Alunos Surdos (Leis, Diretrizes e Resolução que asseguram a inclusão de surdos na escola); 5) Inclusão do Aluno Surdo nas Aulas de Música na Escola (Lei 11.769/2008; Lei 13.278/2016; HADDAD, 2008; ABRAMO, 2012; LOURO, 2012; FERREIRA, 2011; FINCK, 2009; KUNTZE, 2014; SILVA, 2007). Metodologicamente, foi feito um levantamento de produções científicas com relatos de atividades, estratégias e metodologias de inclusão para alunos surdos nas aulas de música na escola às quais oportunizaram a elaboração do repositório de atividades contendo tópicos como a descrição da atividade, repertório, conteúdo, objetivos, autoria, entre outros. Como resultado, foi possível a elaboração do repositório com atividades, metodologias, conteúdos, com fácil acessibilidade.

Palavras-chave: Surdo, Inclusão, Repositório de Atividades, Educação Musical.
Recomendar esta página via e-mail: